bio

carioca de sangue paraense, Dimitri BR faz música, escreve e performa. autor dos livros OCUPA (semifinalista do Prêmio Oceanos 2017) e Breviário da sagrada dúvida, colaborou com escritores como Victor Heringer e Marília Garcia e coletivos como Bliss não tem Bis e CEP 20.000. integrou bandas como 3a1, URSS e Luisa mandou um beijo, apresentando-se com elas ou em shows solo. parceiro de Zélia Duncan e Bruna Beber, já compôs para banda, teatro, cinema, novela, escola de samba e videogame.

em 2009 criou, com o baterista e produtor Alexandre Hofty, o diahum, com o qual produziu e lançou o álbum música sólida (2011), o ep amorrr (2013) e os singles balanso (2013) e bahia de guanabara (2014), além de dezenas de canções&videocanções originais. em 2017 lançou a coletânea todos os dias são bons, disponível nas principais plataformas online.

em 2018 realizou a performance #tododiaéhum, filmando 15 segundos de canção diariamente, por 365 dias, em stories do instagram @dimitri_br; o longa metragem e o calendário resultantes integraram a exposição Rejuvenesça: poesia expandida hoje, com curadoria de Pollyana Quintela, exibida no Centro Hélio Oiticica. em 2019 prepara novos lançamentos e toca a série de mini-performances musicais #1minutodecanção.